Baú do Buim

SEXTA-FEIRA, 11 DE SETEMBRO DE 2015

Essa camisa tinha cheiro de gol

 
Camisa 10 do River, utilizada na temporada de 1978, quando o Galo reativou o uniforme com as duas faixas em diagonal, que há anos não era fabricada. Sima vestiu e marcou muitos gols com esta camisa. Depois fez dela um presente ao então governador Dirceu Mendes Arcoverde. A lembrança ficou guardada e, por volta de 2003, nos foi doada por Júlio Arcoverde, diretor do River e filho de Dirceu. Está guardada no nosso acervo com muito carinho. Maurício Pokemon fotografou.
 
 
 


SEGUNDA-FEIRA, 27 DE JANEIRO DE 2014



SÁBADO, 18 DE JANEIRO DE 2014

Confira a estréia do Baú do Buim na TV Cidade Verde

O Baú do Buim agora está na TV. Todos os sábados, dentro do programa Arena Brasil, na TV Cidade Verde, a partir das 13 horas. Confira a estréia, ocorrida na tarde deste sábado (18).




QUINTA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO DE 2013A faixa do 1° bicampeonato profissional do Parnahyba


O Baú do Buim está enriquecido por uma faixa alusiva ao primeiro bicampeonato ganho pelo Parnahyba após o advento do profissionalismo no futebol do Piauí. Foi em 2005, quando o Tubarão derrotou o Piauí no jogo final, no Estádio Albertão, por 1 a 0, gol de Gildázio. aos 10 minutos do 2° tempo da prorrogação, após empate sem gols no tempo normal. A faixa foi um presente que ganhei do parnaibano Osvaldo dos Santos Brandão, conselheiro do Parnahyba e pesquisador das coisas do futebol do litoral.


 QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2013

Baú: Francílio informa programa da volta do River em 77


Vejam que precioso documento encontrei dentro do meu baú: o comunicado que o River expediu, em 1977, convidando para a programação de retorno do River às atividades do futebol profissional. O documento é assinado pelo então presidente, hoje de saudosa memória, Francílio Ribeiro de Almeida. Para a juventude da Esporão do Galo entender melhor: o River desativou seu time de futebol em 1976, contrariado com a decisão da Federação, que voltou a indicar o Tiradentes como representante do Piauí na Série A do Campeonato Brasileiro de 75. 

O Galo não disputou o campeonato piauiense em 1976 e em fevereiro de 1977, sob a presidência de Francílio Almeida, retornou aos gramados. Volta em grande estilo, tendo na contratação de Sima o grande atrativo para o torcedor. Detalhe: o jogo que marcou o retorno, um amistoso contra o Sport Recife, no Albertão, terminou com empate de 0 a 0.


QUARTA-FEIRA, 20 DE FEVEREIRO DE 2013

O boletim informativo do Comercial na decisao de 2011



Como ninguém sabe quando o Comercial Atlético Clube terá suas dívidas sanadas para retomar suas atividades como associação de futebol profissional, acredito que este boletim informativo da equipe de Campo Maior, distribuído antes do jogo final do Campeonato Piauiense de 2011,  trata-se, nos dias de hoje, de uma verdadeira relíquia. Encontrei na noite desta terça-feira, vasculhando o Baú do Buim.

Dá para observar que vários jogadores que fizeram parte do time naquela final ainda estão disputando o Campeonato Piauiense. Senão vejamos: Neto (Piauí), Barata (Parnahyba), Rafael Araújo (Flamengo), Fred (Barras), Cleiton (Cori-Sabbá), Zé Rodrigues (Parnahyba) e Puxinha (Parnahyba). 

A propósito, e por dever de justiça, registre-se a organização do então supervisor Zé Maguim, que preparava a informação à imprensa com muito zelo. Pode servir de modelo para qualquer time do futebol piauiense que não faz vergonha. Uma pena que, tanto o boletim quanto o Comercial, agora façam parte apenas da nossa lembrança.



 SEXTA-FEIRA, 04 DE JANEIRO DE 2013

Essa camisa tinha cheiro de gol


Ela não é uma camisa qualquer. É uma camisa número 10, a do craque. E não é também uma número 10 qualqeur. É a camisa que tinha cheiro de gol, vestida tantas vezes pelo artilheiro maior do futebol do norte/nordeste, Sima. A 10 do River, que foi sua por algum tempo e depois passou a enriquecer o Baú do Buim.



Com ela e tantas outras número 10 e tricolores, Sima marcou 185 gols para o River, tornando-se principal goleador da história do clube e artilheiro dos Campeonatos Piauienses de 1977, 1978 e 1979. Tantos gols inspiraram o repórter de campo Gomes de Oliveira, o Galego, que, sempre quando chamado para falar sobre gols de Sima, iniciava sua intervenção com a frase "essa camisa tem cheiro de gol.."



Nos tempos da Sociedade Esportiva Tiradentes era assim


Vasculhando o Baú do Buim, encontrei um documento raro e bem interessante. Trata-se da informação oficial da Sociedade Esportiva Tiradentes, comunicando para a crônica esportiva a delegação que irá viajar para Itabaiana, interior de Sergipe, onde jogaria contra o time local pelo Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão - na verdade, a Série B da época.

Interessante, além da informação detalhada da delegação que irá embarcar, o fato de constar o nome de dois profissionais da imprensa que irão junto com o clube, fato comum naquela época. Os tempos são outros, mas ficou o documento no nosso Baú para provar que, em algum lugar do passado, era bem diferente dos dias de hoje.


SÁBADO, 29 DE DEZEMBRO DE 2012

Lembranças da antiga sede do Piauí Esporte Clube


Veja que raridade encontrei no meu baú: uma pequena lembrança da inauguração do campo juvenil na antiga sede do Piauí Esporte Clube, à Avenida Presidente Kennedy. Para comemorar o evento, a diretoria mandou imprimir um pequeno cartão, em frente e verso, onde consta o plantel do time, então tricampeão, o hino e a canção, além de foto do time da época. Vale a pena ver de novo! Foi presente do jornalista Edilson Bonifácio que, naquele tempo, ia para as arquibancadas com bandeira e tudo. Torcer pelo Piauizão de Nonato Leite, Pila e Sima.

 
 


 SEXTA-FEIRA, 28 DE DEZEMBRO DE 2012

Flâmula comemorativa do Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão


Em 1972, realizou mais uma edição do Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão, uma espécie de Série B, cujo campeão foi o Sampaio Correa, de São Luis. Na capital maranhense, em julho do mesmo ano, houve uma reunião para discutir pormenores da competição. Com direito a flâmula comemorativa, que integra o acervo guardado no Baú do Buim.
 



SÁBADO, 15 DE DEZEMBRO DE 2012

O crachá dos piauienses em sua primeira Copa São Paulo

Raridade que acabo de encontrar no meu Baú: um exemplar do crachá que os jogadores do Esporte Clube Flamengo usavam durante a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 1999, a primeira em que o futebol piauiense tomou parte, representado pelo Rubro-Negro da Vila Olímpica.




QUINTA-FEIRA, 06 DE DEZEMBRO DE 2012

Flamengo já é reconhecido como campeão de 1939


Recentemente, o presidente do Esporte Clube Flamengo, Jankel Costa, solicitou que a Federação de Futebol do Piauí reconhecesse, como título de campeão piauiense, a conquista do Campeonato de 1939, promovida pela então Liga Teresinense. No meu entendimento, a reivindicação do Flamengo é totalmente desnecessária.

 Em todo o Brasil, todos os campeões das ligas que existiam antes de 1941, quando foram criadas as Federações, são reconhecidos como campeões estaduais. Os próprios desportistas da época consideravam assim. Independente da quantidade de ligas. Se existiam duas, eram dois campeões. Foi assim no Rio de Janeiro, em São Paulo e também no Piauí.


No meu baú encontrei uma publicação oficial da Federação de Futebol do Piauí, de 2007, em que constam todos os campeões piauienses. E lá está o Flamengo, campeão pela Liga Teresinense, em 1939, ao lado do seu homônimo de Parnaíba, campeão piauiense pela Liga Parnaibana. Logo, não há necessidade da gestão atual decretar o Flamengo campeão piauiense de 1939. O Flamengo já é campeão piauiense de 1939. Desde 1939.
 



SEGUNDA-FEIRA, 03 DE DEZEMBRO DE 2012

Quando a Federação ainda era Piauiense de Desportos


Raridade que encontrei no Bau do Buim: um papel timbrado da Federação de Futebol do Piauí, da época em que a mesma chamava-se Federação Piauiense de Desportos, congregando todos os esportes, como pode ser visto na coluna lateral. O endereço também é antigo: Rua Senador Teodoro Pacheco, onde funcionou, mais recentemente, a Fundação JET.

Ainda não estávamos na era da informática e papéis com o timbre eram confeccionados em gráficas, em quantidade que pudesse suprir as necessidades de cada instituição. Com a Federação não era diferente. Data, aproximadamente, de 1976 e foi usado durante as administrações de Renato de Sousa Lopes, Francisco Machado e Joffre Castelo Branco.



SEGUNDA-FEIRA, 26 DE NOVEMBRO DE 2012

Conheça o Piauí antes que você morra


Durante muitos anos, a revista O Cruzeiro, pertencente aos Diários Associados, do jornalista Assis Chateubriand, reinou no Brasil como um dos principais órgãos de comunicação da imprensa. Ler O Cruzeiro era quase uma religião. Nos idos de 1969, quando Helvídio Nunes governava o Piauí, a publicação de circulação nacional produziu uma ampla reportagem mostrando somente o lado pobre e miserável do nosso Estado, com o título "Conheça o Piauí antes que ele acabe".

Houve uma grande insatisfação do povo piauiense e muitas revistas foram queimadas. Quando Alberto Silva assumiu o governo e decidiu mudar a imagem que O Cruzeiro já havia propalado por todo o país, a Sociedade Esportiva Tiradentes foi um dos grandes instrumentos de marketing que mudaram a imagem do Estado.

Bancado pelo governo, o Amarelão da Polícia Militar fez sucesso disputando a divisão principal do futebol brasileiro. Onde chegava era uma cobertura especial da imprensa. Em campo, vitórias espetaculares que fizeram do nosso representante um dos 20 melhores times do país em 1973 e 1975. Num trabalho de marketing pioneiro, por onde andou, Brasil afora, o time da PM distribuiu chaveiros, bonés, camisas, flãmulas e adesivos.

E neste último ítem, o que mais chamou atenção, trazia a frase Conheça o Piauí antes que você morra. Colaboração da S. E. Tiradentes. O futebol, àquela época, já era um grande instrumento de marketing político. Que deu certo, diga-se de passagem. Quanto ao adesivo, um dos pucos que sobraram é guardado com muito carinho no Baú do Buim.




TERÇA-FEIRA, 16 DE OUTUBRO DE 2013

O primeiro volante da loteria esportiva com time piauiense

Já se vão 42 anos da estréia de um time do futebol piauiense na programação semanal dos testes da Loteria Esportiva, ocorrida no concurso n° 20, que apresentou jogos nos dias 17 e 18 de outubro de 1970. Na oportunidade, o jogo 12, Maranhão (coluna 1) x Piauí (coluna 2), pelo Torneio Nordetão, disputado em São Luis, terminou 0 a 0, e deu coluna do meio.

E o Baú do Buim guarda, com bastante carinho, o volante original daquele teste, reproduzido nesta ocasião. Infelizmente, depois de muitas participações piauienses, a Caixa Econômica Federal nunca mais programou jogos com clubes do Piauí em seus concursos. Basta lembrar que, a última vez, foi há mais de dez anos, quando Ciro Nogueira era presidente do River e conseguiu incluir um jogo do Tricolor contra o Caxiense. É outro tabu que a Federação de Futebol do Piauí deverá trabalhar para derrubar.

Interessante é constatar a grande diferença dos volantes da época com os de hoje. Por exemplo: durante anos e anos, a Caixa imprimia os volantes com os nomes dos jogos. Hoje, prá poupar custos, os volantes são impressos em grandes quantidades, sem o nome dos times, pois assim pode ser utilizado a qualquer tempo. Naquele tempo também era necessário personalizar o volante, que continha espaço para colocação do nome e endereço do apostador. Raridade do Baú do Buim.



SÁBADO, 29 DE SETEMBRO DE 2012

O Rivengo na Tribuna Esportiva


Em abril de 1988, quando o clássico Rivengo completou 40 anos, o jornal Tribuna Esportiva publicou vasto material sobre o grande clássico do futebol piauiense, que volta a decidir uma competição oficial da divisão principal da Federação de Futebol do Piauí - a V Copa Piauí. E o assunto foi destaque na capa do jornal-tablóide, cujo exemplar está bem guardado no Baú do Buim.


SEXTA-FEIRA, 14 DE SETEMBRO DE 2012

O convite para inauguração da Vila Olímpica

Raridade que acabo de encontrar no Baú do Buim: o convite da inauguração da Vila Olímpica, ocorrida há 25 anos. Na ocasião, esperava-se que o Flamengo desse uma alanvacada rumo a uma fase histórica. Não foi o que aconteceu. Tanto tempo depois, parte do imóvel não pertence mais ao Flamengo e o abandono de muitas administrações deixou o patrimônio quase que totalmente destruído. Intacto, a rigor, só mesmo o convite que guardo até hoje.




QUARTA-FEIRA,  05 DE SETEMBRO DE 2012

Selos de futebol da terra de Gengis Khan




Muito mais lembrada pela história do conquistador Gengis Khan, a Mongólia também tem seus momentos em que o futebol é lembrado de forma bastante significativa. Um exemplo disso pode ser a sééie de selos comemorativos à Copa do Mundo de 1986, disputada no México.

A propósito, a filatelia já dedicou destacado espaço para o tema futebol, tanto no Brasil quanto no exterior, com produção bem mais acentuada no período dos Mundiais de Futebol. Selos de futebol, como estes, fazem parte do acervo que está guardado dentro do Baú do Buim.


DOMINGO, 02 DE SETEMBRO DE 2012

Um adesivo para divulgar o campeão piauiense de 95 


Na melhor fase do Cori-Sabbá, de Floriano, sua diretoria mandou confeccionar um adesivo para divulgar o alvinegro de Floriano. Repare que o escudo ainda era o antigo, sem a águia que hoje se destaca no símbolo atual. Uma boa lembrança para recordaar o Cori, cuja participação no futebol profissional não ocorre desde 2011.



SEGUNDA-FEIRA, 30 DE JULHO DE 2012

Tabela da Copa 70: raridade do Baú do Buim
Raridade que encontro no Baú do Buim. Uma tabelinha da Copa de 1970, publicada pela Philips e distribuída no Piauí pela firma A Transistolândia, situada à Rua Desembargador Freitas, na Praça do Liceu. Tabelinha histórica, da Copa em que o Brasil ganhou, definitivamente, a Taça Jules Rimet.
DOMINGO, 29 DE JULHO DE 2012

A camisa do Santa Quitéria - MA


O Baú do Buim é recheado de camisas de clubes de futebol. Do Brasil e do exterior. E vasculhando meu baú neste domingo, encontrei a camisa do Santa Quitéria, da cidade que lhe empresta o nome, interior do Maranhão. Presente que ganhei do ilustre amigo e pesquisador Osvaldo dos Santos Brandão, parnaibano que vibrou com a conquista do título pelo Tubarão, há quinze dias, diante do Flamengo. Mas o destaque, agora, é mesmo para a camisa do Santa Quitéria.


SEGUNDA-FEIRA, 23 DE JULHO DE 2012

Colorado: bicampeão suburbano com direito a flâmula


Durante as décadas de 1960 e 1970, as flâmulas eram os souvenirs mais confeccionados. Um tipo de recordação que virou mania, e que serviu de motivo para muitos colecionadores. O Colorado Esporte Clube, time amador de Teresina, também teve sua flâmula. Exatamente em sua fase áurea, quando sagrou-se bicampeão do Campeonato Suburbano de Futebol, promovido pela Federação Piauiense de Desportos (hoje FFP).

É a raridade que hoje retiro do Baú do Buim para mostrar a você, caro leitor. A lembrança não é apenas do grande time do Colorado, à época com o saudoso Rui Lima figurando entre seus principais destaques. Tempos em que o Campeonato Suburbano ainda era uma febre, movimentando times de diversos bairros da capital piauiense.

QUARTA-FEIRA, 27 DE JUNHO DE 2012

Um futebol-card do zagueiro Polozi


Você já deve ter percebido que o Baú do Buim tem uma quantidade muito grande de lembranças do futebol local e nacional. O Baú é meio desorganizado, cheio de coisas, tudo misturado, mas hoje consegui localizar um card do chiclete Ping Pong, onde o personagem é o atual técnico do Comercial, Fernando Polozzi, à época em que ele atuava como zaguiro do Palmeiras. Como a parte do texto, impresso no verso do cartão, está ruim para ler, a íntegra do texto está logo abaixo.

JOSÉ FERNANDO POLOZI
Nascimento: 01/10/1955 - Vinhedo (SP).
Altura: 1,80m - Peso: 72 kg

Posição: zagueiro de área
Equipes que já defendeu: Ponte Preta (SP) e Seleção Brasileira.

Curiosidades: Polozi é cria do infantil da Ponte Preta, a mesma escolinha que revelou Oscar e Carlos para o futebol. Zagueiro muito habilidoso, foi convocado para a Seleção Brasileira em 78, graças ao seu talento e extrema afinidade ocm o seu ex-companheiro da Ponte Preta, Oscar, também convocado. O Palmeiras comprou seu futebol para a disputa da Taça Libertadores, já que não poderia usa-lo no Campeonato Paulista de 78, que estava em andamento. Sua maior alegria aconteceu neta sua transferência para o Palmeiras, seu time do coração. Cita Juninho, da Ponte, como um grande jogador, e arroz, feijão e batata frita como seu prato preferido.



TERÇA-FEIA, 26 DE JUNHO DE 2012

Em 70 a Clube estava em cima da bola

Olha o que o Baú do Buim foi buscar: uma tabelinha do Campeonato Piauiense de 1970, da Rádio Clube de Teresina, no tempo em que ela tinha sua equipe de esportes, formada por Tomaz Teixeira, Salomão Viegas, Basílio Neto, Gomes de Oliveira, Willame Carvalho (Bibio). Hoje, com as constantes mudanças que a FFP se vê obrigada a fazer, é difícil mandar encomendar uma tabela que o torcedor possa acompanhar sem alterações.


A propósito, hoje não tem tabelinha, não tem equipe de esportes na Rádio Clube, não tem Botafogo. E vários colegas dessa época já estão fora da crônica esportiva. Aliás, dos nomes que constam aí na tabela da Rádio Clube, somente o Salomão Viegas continua atuando como cronista esportivo. E para quem não sabia, o desembargador Valério Chaves já foi da crônica. Taí o documento comprovando sua passagem pelo rádio esportivo.




SÁBADO, 09 DE JUNHO DE 2012

Vote com o coração, vote Panzilão

Gente, olha só o que eu encontrei no Baú do Buim? Um santinho da campanha eleitoral do Panzilão, quando ele foi candidato a vereador em Teresina. Só não lembro o ano, mas taí o registro. Uma outra informação: a porca pegou nosso artilheiro pé-de-cana!

Gênios do Futebol


Um jogo de perguntas e respostas sobre Copa do Mundo. Este era o Gênios do Futebol, lançado alguns anos depois que o Brasil conquistou a sua terceira Copa do Mundo, no México. Uma raridade que encontrei no Baú e achei interessante postar aqui para você, que é daquela época, recordar. E para os mais novos saberem que, em algum lugar do passado, futebol e Copa do Mundo podia ser transformado num jogo bem interessante.




DOMINGO, 03 DE JUNHO DE 2012

A camisa de Moacir, lateral do Sport Recife





O Baú do Buim tem uma imensa quantidade de camisas de futebol. Neste registro, mais uma que me foi presenteada neste ano de 2012. Uma lembrança que o lateral direito Moacir, do Sport Recife, deixou para o nosso baú - a camisa que ele usou no jogo em que o time pernambucano venceu o 4 de Julho, pela Copa do Brasil, por 2 a 0.


Camisa de árbitro da Federação Escocesa



Esta é a mais recente relíquia do Baú do Buim: uma camisa de árbitro da Federação Escocesa de Futebol (The Scottish Foot-Ball Association), utilizada na década de 1990. Me foi presenteada pelo colecionador Marco Aurélio Cavalcante (meu amigo Marcão), que também tem muitas raridades em seu "guarda-roupas do futebol".


QUARTA-FEIRA, 23 DE MAIO DE 2012

Um cafezinho com o Tubarão

Quando alguém lhe convidar para tomar um cafezinho com o Tubarão, não hesite por receio de alguma tragédia. Será apenas um cafezinho numa xícara gravada com o escudo do Parnahyba Sport Club, o mais antigo time de futebol do Estado do Piauí. Interessante lembrança do time parnaibano, que me foi presenteada pelo pesquisador Osvaldo dos Santos Brandão. Peça de museu que guardo com muito carinho dentro do meu baú.



SÁBADO, 12 DE MAIO DE 2012

 A histórica flâmula do Caiçara vice-campeão



Há poucos dias eu mostrei aqui uma flâmula do Comercial, de Campo Maior, que me foi presenteada pela sua diretoria. Hoje vou mostrar outra raridade. Trata-se da flâmula oficial lançada pelo Caiçara Esporte Clube, após o time ser vice-campeão piauiense de 1963, quando perdeu a decisão do título para o River, no primeiro campeonato da era profissional do futebol piauiense. Uma raridade do Baú do Buim.


QUARTA-FEIRA, 09 DE MAIO DE 2012

A flâmula do Comercial Atlético Clube

A bela flâmula nas mãos do zagueiro Cleiton...
Quando os capitães de Comercial (Cleiton) e Flamengo (Zuza) se aproximaram para tirar o toss, antes do jogo decisivo do Torneio da Movimentação, algo muito especial me chamou atenção. Nas mãos do zagueiro comercialino, uma bonita flãmula do vice-campeão piauiense. Como a confecção de flâmulas pelos times de futebol é algo raro nos dias de hoje, achei muito interessante e fiquei com uma vontade danada de ter uma igual para juntar-se a outras 300 que devo ter em meu baú.

Antes do jogo do último sábado, entre Comercial e Piauí, fui presenteado pela diretoria do Comercial com um exemplar exatamente igual àquele que vi por ocasião do jogo final do Torneio da Movimentação. Aproveito apra agradecer a distinção da diretoria azulina. Quanto ao souvernir, já está guardado com muito carinho.
...e o meu exemplar, guardado com muito carinho em meu acervo.
SEGUNDA-FEIRA, 30 DE ABRIL DE 2012

Uma flâmula cinquentenária


Olha só o que eu tirei de dentro do meu baú. Uma flâmula do River Atlético Clube, alusiva ao título de pentacampeão piauiense, conquistado em 1962. Uma recordação histórica do ano em que o River fechou seu quinto título consecutivo - 1958/59/60/61 e 62 -, encerrando a era do futebol amador no Piauí. Relíquia do Baú do Buim.


TERÇA-FEIRA, 24 DE ABRIL DE 2012

Uma camisa do Batistinha


Esta camisa de n° 18, do Clube do Remo, de Belém, foi uma das últimas que o ex-atacante Batistinha usou em sua trajetória como atleta profissional. Ganhei de presente para a coleção que guardo no Baú do Buim. Aliás, Batistinha me presenteou com muitas camisas. Todas elas vão desfilar por aqui, gradativamente.

A propósito do dono desta camisa, ele acaba de fundar, com seus irmãos, filhos e sobrinhos, o União Família Futebol, time amador que vai reunir todos os familiares e alguns amigos convidados. O time foi criado no último final de semana. E certamente terá, como patrono, o ex-goleiro Batista, que iniciou o clã da família no mundo do futebol.




SEXTA-FEIRA, 20 DE ABRIL DE 2012

A camisa do Zé Augusto


O Baú do Buim tem uma grande quantidade de camisas dos mais diversos clubes do Brasil. E algumas do exterior. A que lhes apresento foi um presente que ganhei de Zé Augusto, meia que foi bicampeão piauiense em 89 (River) e 90 (Tiradentes). A camisa, uniforme n° 2, é do Joinville, de Santa Catarina, equipe pela qual Zé Augusto foi campeão catarinense em 1983.

A camisa, você já sabe, encontra-se no Baú do Buim. O craque que a usou, José Augusto Borges do Nascimento, baiano de Cruz das Almas, hoje é um dos responsáveis pelas categorias de base do Sport Club Corinthians Paulista, função que permitiu-lhe, em algumas oportunidades, assumir o comando técnico do time principal de Parque São Jorge.


SEGUNDA-FEIRA, 16 DE ABRIL DE 2012

Uma flâmula do Mais Querido


A flâmula do Mais Querido: um tesouro para qualquer torcedor rubro-negro.
Nesta época, anos 70, o Esporte Clube Flamengo já era conhecido como O Mais Querido, pois havia ganho o concurso promovido pela Revista Placar, para escolher o clube mais querido do Brasil e de cada Estado brasileiro. E sua torcida não estava afastada dos estádios de futebol. Esta flâmula é uma das preciosidades mantidas no interior do Baú do Buim.

 QUINTA-FEIRA, 12 DE ABRIL DE 2012

Ídolos eternos viram selo na Guiné Equatorial

A histórica seleção "da Guiné Equatorial".
Embora não tenha tradição no futebol mundial, Guiné Equatorial, país localizado no centro-oeste do continente africano, formou uma das melhores seleções do planeta. Isso mesmo. Mas vou explicar melhor. Não foi convocando jogadores para alguma competição, mas eternizando verdadeiros monstros sagrados numa série de sete selos comemorativos para a Copa da Argentina, em 1978.

Eusébio (Portugal), Yashin (União Soviética), Cruyff (Holanda), Di Stefano (Espanha), Maier (Alemanha), Bobby Charlton (Inglaterra) e Pelé (Brasil) foram os privilegiados para ilustrar uma das mais significativas séries temáticas deste dueto filatelia-futebol. Preciosidade guardada no Baú do Buim.

(a qualquer momento, nosso endereço mudará para sitedobuim.com)

SEXTA-FEIRA, 6 DE ABRIL DE 2012

Os cartões usados por Símon na final de 2007
No lado da frenrte, Símon fez o registro do jogo e a dedicatória.
 Você faz idéia de como são os cartões amarelo e vermelho que o árbitro leva para o campo de jogo? Como ele faz as anotações? Pois bem. O modelo pode até não ser padronizado, mas o ex-árbitro FIFA Carlos Eugênio Símon, do Rio Grande do Sul, que foi a três Copas do Mundo, tinha o seu, devidamente personalizado. E os dois que ele levou para apitar a decisão do Campeonato Piauiense de 2007, entre River e Barras, a meu pedido, ficaram aqui, em Teresina, onde estão guardados no Baú do Buim.

Na reprodução que disponibilizo para você, conheça o cartão que Símon usava e como ele fez as anotações daquele jogo. Observe que os gols e as advertências foram registradaas no cartão amarelo. E como não houve expulsões, a única anotação ele deixou para que fosse identificado a que jogo pertencia, uma vez que, antes do início da partida, solicitei o presente para o Baú do Buim. Um detalhe: apesar do espaço reservado para anotar as substituições, Símon deixou essa tarefa para o quarto árbitro.
No verso dos cartões, os espaços para as anotações.
 Vou lhe ajudar a identificar o que foi registrado no cartão amarelo. Símon colocouo o River na parte de cima, por ser o clube mandante, e o Barras na parte debaixo do cartão.

ANOTAÇÕES DO RIVER:

Gols: 6 minutos – n° 11 (Osvaldo), 29 minutos – n° 8 (Lira) e 34 minutos – n° 4 (Zezé). Este último gol foi no 2° tempo, mas Símon não fez esta observação no cartão.

Advertência:  n° 8 (Wanderson).

ANOTAÇÕES DO BARRAS:

Gol: 5 minutos – n° 10 (Marcelo). Gol que também foi marcado no 2° tempo.

Advertências: n°s 3 (Juba), 13 (George) e 7 (Montanha).

P.S. - Sempre que você acessar o Baú do Buim, lembre-se que sua criação foi sugerida pelo repórter-cinematográfico Dogno Içaiano. A ele, minha homenagem. E minha grande saudade. Descansa em paz, parceiro.

11 comentários:

  1. BUIM PRECISO CONHECER SEU ACERVO .ISSO É UMA QUESTÃO DE HONRRA .

    ResponderExcluir
  2. Valeu meu querido amigo! Darei muitas outras contribuições para o Baú do Buim. Sua coleção é, sem dúvida, uma das maiores do país. Seu acervo conta a história do nosso futebol com maestria...parabéns por tantos anos de pesquisa, estudo e dedicação ao esporte e ao jornalismo.
    Grande abraço
    Marco Aurélio Cavalcante
    facebook.com/marcoaureliocavalcante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Marcão, muito obrigado mais uma vez. Grande abraço. Buim.

      Excluir
  3. Severino Filho ! Meu amigo Buim, boa sorte e sucesso em sua nova empreitada. Estamos na torcida e conte com nosso apoio. Um grande abraço do seu amigo e leitor ! Jurandir Viana "Narrador Explosão do Rádio Piauiense". De Castelo do Piauí. Quando precisar pode acionar o departamento de esportes da Rádio Marvão Fm - 104,9 Mhz. Estamos à disposição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Jurandir, muito obrigado mesmo. E quando tiver notícias do futebol de Castelo do Piauí, manda prá gente aqui. Grande abraço, extensivo a todos da equipe. Buim.

      Excluir
  4. Boa noite, meu nome é Franci, gostaria de sua ajuda para conseguir uma foto do jornal local em que o goleiro José Fernandes Barrocas Filho (Magrão), aparece no time que jogou no almeidão em fevereiro de 1984.Ele faleceu muito jovem, com apenas 28 anos em 1989 teve sua carreira encerrada em um acidente de moto. Não tenho certeza mais acho que era com o River xTiradentes, por não me lembrar pesso sua ajuda, desde já , agradeço sua atenção, e que Deus o abençoe!!!Abraço.Meu email para contato é :franciadvir@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em breve lhe atenderei, Franci, com a publicação, aqui no Site do Buim, da foto do River com o Barrocas no gol. Grande abraço.

      Excluir
  5. Olá, Buim. Gostaria de solicitar que escrevesse sobre duas lendas do Futebol Piauiense: a primeira, já bastante comprovada e divulgada, o dia em que O Desembargador Branco tornou-se o maior artilheiro negativo em uma só partida, anotando quatro gols contra as próprias redes; e ainda sobre a lenda do jogo Barra das Pombas x Poty Velho, se realmente existiu o maior empate de todos os tempos.

    De quebra gostaria de lhe pedir que publicasse, se possível, uma foto do Metropol, onde jogava o Desembargador Branco.

    Um abraço e muito obrigado.

    ResponderExcluir
  6. de qual bairro era o colorado campeao suburbano

    ResponderExcluir
  7. E o autor do gol mais rápido no futebol piauiense? Não vi nada sobre ele....

    ResponderExcluir
  8. Lembra de um jogador chamado PEREIRA, do Parnaíba Esporte Clube, no final da década de 80, mais conhecido como "cheiroso" ????

    Sei por onde anda. Posteriormente, mandarei notícias dele.
    Aguarde.

    Grato.

    ResponderExcluir