segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Temporada de 2012 foi considerada boa. E em 2013, como você acha que será o futebol profissional no Piauí?

42% dos leitores que opinaram  avaliaram como boa a temporada de 2012.
O leitor do SITE DDO BUIM aprovou o primeiro ano, ininterrupto, do futebol profissional do Piauí sob a gestão de Cesarino Oliveira na FFP. É o que mostram os números finais da pesquisa que foi feita nos últimos quinze dias do ano, com a pergunta NUM CONTEXTO GERAL, QUAL A AVALIAÇÂO QUE VOCÊ FAZ DO FUTEBOL PROFISSIONAL DO PIAUÍ EM 2012. Confira, abaixo, o resultado final.

BOM - 42%
REGULAR - 22%
RUIM - 12%
PÉSSIMO - 11%
MUITO BOM - 6%
ÓTIMO - 3%

Na nova pesquisa, que começa a partir de hoje, e tem encerramento programado para 15 de janeiro,  a pergunta que fazemos para você é a seguinte. DIANTE DO TRABALHO QUE ESTÁ SENDO FEITO PELOS CLUBES E PELA FEDERAÇÃO, QUAL A PREVISÃO QUE VOCÊ FAZ PARA A TEMPORADA 2013? ELA SERÁ:

ÓTIMA, MUITO BOA, BOA, REGULAR, RUIM ou PÉSSIMA?

O Campeonato Piauiense de 1962

Na temporada de 1962, o River ainda mandava no futebol piauiense. A ponto de arrebatar o penta com um jogo de antecedência. Infelizmente, alguns registros da época são dispõem da data de várias partidas. Mesmo assim, montamos o resumo que foi possível para você dispor, também, de informações sobre o último Campeonato Piauiense realizado antes do advento do futebol profissional, ocorrido no ano seguinte.

Um dos pontos fortes do time campeão, o ataque voltou a ser eficiente e terminou o certame com três de seus coponentes nas primeiras colocações da artilharia - Valdinar, o principal goleador, Waldeck e Tassu. Agora vamos aos numeros, para você ler e arquivar.

A propósito de Valdinar (foto ao lado), a última informação que temos é de que o mesmo tornou-se músico e é um dos componentes da Orquestra Filarmônica de Juiz de Fora, interior de Minas Gerais. Observe na foto que, também nesta ocasião, início dos anos 60, o River utilizava um escudo semelhante ao do São Paulo Futebol Clube.
 
 1º turno
10/06/1962
PIAUÍ 0x0 RIVER

16/06/1962
FLAMENGO 5x0 RIO NEGRO

17/06/1962
AUTO ESPORTE 1x0 FLUMINENSE

23/06/1962
RIO NEGRO 1x0 FLUMINENSE

24/06/1962
PIAUÍ 2x2 AUTO ESPORTE

27/06/1962
RIVER 2x1 AUTO ESPORTE

01/07/1962
AUTO ESPORTE 0x1 COMERCIAL

04/07/1962
PIAUÍ 2x0 FLAMENGO

07/07/1962
RIO NEGRO 1x0 COMERCIAL

08/07/1962
FLAMENGO 1x0 FLUMINENSE

21/07/1962
AUTO ESPORTE 1x0 RIO NEGRO

22/07/1962
FLUMINENSE 1x2 COMERCIAL

25/07/1962
RIVER 6x2 FLUMINENSE
 
28/07/1962
AUTO ESPORTE 2x0 FLAMENGO

29/07/1962
PIAUÍ 2x2 COMERCIAL

01/08/1962
PIAUÍ 2x1 FLUMINENSE

05/08/1962
RIVER 4x2 FLAMENGO

08/08/1962
RIVER 3x1 COMERCIAL

11/08/1962
FLAMENGO 0x1 COMERCIAL

12/08/1962
RIVER 3x0 RIO NEGRO

12/09/1962
PIAUÍ 1x1 RIO NEGRO

Classificação (pontos ganhos)

1º River, 11 pontos
2º Piauí, 8 pontos
3º Auto Esporte e Comercial, 7 pontos
5º Rio Negro, 5 pontos
6º Flamengo, 4 pontos
7º Fluminense, 0

2º Turno
23/09/1962
RIVER 2x1 COMERCIAL
 
FLAMENGO 7x0 AUTO ESPORTE (data não disponível)
FLUMINENSE 0x2 COMERCIAL (dnd)

29/09/1962
AUTO ESPORTE 0x0 RIVER

AUTO ESPORTE 1x1 PIAUÍ (dnp)
FLAMENGO 2x1 RIO NEGRO (dnp)

14/10/1962
RIVER 2x0 PIAUÍ

20/10/1962
PIAUÍ 5x1 COMERCIAL

21/10/1962
AUTO ESPORTE 2x1 RIO NEGRO

RIO NEGRO 1x1 PIAUÍ (dnd)

10/11/1962
RIVER 5x1 RIO NEGRO

11/11/1962
FLAMENGO 5X1 FLUMINENSE

15/11/1962
RIVER 11x1 FLUMINENSE

18/11/1962
FLAMENGO 3x4 PIAUÍ

25/11/1962
FLAMENGO 3x0 RIVER

Datas não disponíveis
FLAMENGO 2x1 COMERCIAL
PIAUÍ 1x0 FLUMINENSE
RIO NEGRO 0x0 COMERCIAL
AUTO ESPORTE 1x0 COMERCIAL
AUTO ESPORTE 3x1 FLUMINENSE
RIO NEGRO 3x1 FLUMINENSE

Classificação (pontos ganhos)

1° Flamengo, 10 pontos
2º River, 9 pontos
3º Piauí e Auto Esporte, 8 pontos
5º Rio Negro, 5 pontos
6º Comercial, 2 pontos
7º Fluminense, 0

Classificação dos dois turnos (pontos ganhos)

De acordo com o regulamento do Campeonato, a classificação geral dos dois turnos é que definirá as quatro associações classificadas para o terceiro e decisivo turno da competição. Esta classificação ficou assim.
            
1º River, 20 pontos 
2º Piauí, 16 pontos
3º Auto Esporte, 15 pontos
4º Flamengo, 14 pontos
5º Rio Negro, 10 pontos
6º Comercial, 9 pontos
7º Fluminense, 0

* River, Piauí, Auto Esporte e Flamengo disputarão o turno final. Rio Negro, Comercial e Fluminense estão eliminados)
 
* Os pontos dos dois primeiros turnos continuam valendo para o terceiro e último turno.

3º Turno
01/12/1962
RIVER 4x2 FLAMENGO

02/12/1962
PIAUÍ 2x0 AUTO ESPORTE

08/12/1962
RIVER 2x2 AUTO ESPORTE

09/12/1962
FLAMENGO 1x0 PIAUÍ

15/12/1962
FLAMENGO 1x0 AUTO ESPORTE

16/12/1962
RIVER 3x2 PIAUÍ

Classificação do Turno Final (pontos ganhos)

1º River, 25 pontos
2º Flamengo e Piauí, 18 pontos
4º Auto Esporte, 16 pontos
O JOGO DO TÍTULO

08/12/1962 - RIVER 2x2 AUTO ESPORTE
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Severiano Alves Teixeira e Antonio Milton Vilanova.
Renda: Cr$ 21.400,00
Gols: Tassu 15 do 1º tempo; Carlos (contra) 3, Tassu 10 e Paulo 18 do 2º.
Obs.: com este resultado, o River sagrou-se pentacampeão piauiense por antecipação.
River – Carlos; Marcos, Astolfo e Murilão (Giri); Carlos Augusto e Quincas; Waldeck, Fortaleza, Gereba, Vilmar e Tassu. Técnico: Manoel da Silva, o Né.
Auto Esporte – Manoel; Gordinho, Luis Carlos e Paulo; Priguilim e Gasolina; Delmiro, Geraldo Pinto, Toinho, Bacram (Leonardo) e Bicudo.

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º River Atlético Clube (Teresina)
2º Esporte Clube Flamengo (Teresina)
3º Piauí Esporte Clube (Teresina)
4º Auto Esporte Clube (Teresina)
5º Rio Negro Esporte Clube (Teresina)
6º Comercial Atlético Clube (Campo Maior)
7º Fluminense Esporte Clube (Teresina)
 
ÁRBITROS QUE MAIS APITARAM
 
12 jogos – Francisco das Chagas Oliveira, o Pirrita
10 jogos – Valdimir Soares da Silva
7 jogos – Francisco de Assis Castelo Branco
6 jogos – Dagmar Bangoim

PRINCIPAIS GOLEADORES
 
12 gols – Valdinar (River).
11 gols – Waldeck (River) e Ribamar (Flamengo).
9 gols – Tassu (River).
6 gols – Maçarico (Flamengo) e Edson (Piauí).
5 gols - Geraldo Pinto (Auto Esporte), Écio e Carminho (Piauí).

Goleiro campeão de 2009 pode reforçar Flamengo

Beto, campeão pelo Flamengo em 2009, estará de volta ao Rubro-Negro.
Depois de duas temporadas defendendo o Parnahyba (2010/2011) e em seguida o Treze, de Campina Grande (2012), o goleiro Beto retorna ao Flamengo. É o que apuramos neste final de semana, quando a diretoria rubro-negra tenta finalizar a relação dos jogadores que serão apresentados no próximo dia 03 de janeiro. 

Beto foi campeão piauiense pelo próprio Flamengo, em 2009, quando o time da Vila Olímpica ganhou todas as competições locais em que tomou parte. Como tem sido de praxe, os didrigentes do time rubro-negro preferem manter o suspense quanto aos nomes que a imprensa tem procurado antecipar-se na divulgação.

O volante Amaral, porém, já está confirmado. O mesmo não se pode dizer do zagueiro Ronaldo Angelim, que acertou seu ingresso no Fortaleza. Outros quatro nomes continuam sendo guardados pela diretoria do clube. A partir da próxima semana, quando reiniciar suas atividades, o Flamengo efetuará seus treinamentos no Complexo Esportivo da Universidade Federal do Piauí.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Barras goleia Flamengo no último jogo de preparação

O Azulão do técnico Danilo Queiroz não tomou conhecimento do time misto do Flamengo (Foto: Severino Filho - Buim)
Depois de sair atrás no placar, quando o Flamengo marcou com apenas 1 minuto de jogo, o time do Barras que irá para a Copa São Paulo de Futebol Junior enfiou uma impiedosa goleada sobre o misto que o time rubro-negro mandou a campo, hoje (30) à tarde, no Etádio Municipal Lindolfo Monteiro. Ao final dos 90 minutos, 6 a 1 para a garotada do Barras.

Mal começou a partida e o Flamengo foi logo abrindo a contagem, com um gol do meia Rômulo, que defendeu o time sub-18 do Fluminense nas três últimas temporadas. Enquanto teve preparo físico, o time misto do Flamengo (garotos mesclados com profissionais) manteve o jogo equilibrado, embora, ainda no primeiro tempo, Barras virasse para 2 a 1. O empate vio logo após o gol do Flamengo, através de Elvis, aos 4 minutos. O segundo gol, aos 37, foi assinalado por Edinê.

Enquanto teve preparo físico, o Flamengo acompanhou Barras com boa marcação. Depois...
As inúmeras alterações nas duas equpes foi a tônica da fase final, onde Barras, com melhor preparo físico, definiu sua vitória com mais quatro gols, construindo o placar final de 6 a 1. Marcaram, pela ordem, Thiago (17 minutos), Jefferson (28), Alisson (41) e Jefferson (45). E poderia ter sido mais, se Felipe não tivesse desperdiçado um pênalti, chutando para o goleiro Artur defender.

O técnico Danilo Queiroz poupou dois jogadores importantes - Bruno e Luis Henrique. Mas colocou em campo os 22 atletas que foram ao Lindolfo Monteiro - Danilo (Bernardo); Ednê (Renê), Kalil (Airton), Lucas Sousa (Rafael) e Lucas Kevelin (William); Victor (Thiago), Henrique (Batuta), Dalton (Pedro Lucas) e Dindê (Jefferson); Elvis (Felipe) e Paulo Roberto (Wallyson).

O misto do Flamengo, orientado por Valter Maranhão, perdeu com Artur; Capu (Eduardo, depois Weslen), Wenderson (Alisson), Pedro Luna e Igor (Davi, depois Marlos); Yago (Felipe), Antônio Carlos, Rômulo (Franco) e Luca Vieira (Ruan); Selton (Marcos) e Da Silva (Maninho). 
 .

4 de Julho perde amistoso no interior cearense


Pretinho, artilheiro, passou em branco hoje.
Cumprindo apresentação amistosa na cidade de São Benedito interior do Ceará, a equipe do 4 de Juho foi derrotada pelo time local por 2 a 0, em partida realizada na tarde deste domingo (30), como fase de preparação das duas equipes para seus respectivos campeonatos estaduais. No time piauiense, o meia Lira voltou a atuar depois de 1 anos e 4 meses afastado do futebol profissional.

O time colorado jogou com muitos garotos da base, mas ainda contou com o goleiro Geo, o ala direita Wilsinho, os volantes Dacha e Lira, além dos atacntes Pretinho e Pedra Preta, todos com experiência no time principal do 4 de Julho. "O objetivo principal era movimentar a garotada" - explicou Cabeção, um dos dirigentes da equipe de Piripiri.

Lira, que fez seu primeiro jogo pelo 4 de Julho em 2012, tendo em vista a fratura que sofreu no início do ano, fez uma boa atuação, chegando a colocar bola na trave do São Benedito. A reapresentação da equipe acontecerá no dia 03, com todos os reforços já contratados. A estréia no Campeonato Piauiense será dia 26 de janeiro, no Ytacoatiara, diante do Piauí. 

O Rio Negro no Piauiense de 1963

O extinto Rio Negro Esporte Clube, de Teresina, é o time focalizado neste almanaque. Time fundado em 1953, disputou o Campeonato Piauiense em diversas oportunidades, inclusive em 1963, ano da implantação do regime profissional pela Federação Piauiense de Desportos (hoje FFP). A propósito, é deta ocasião que resgatamos todas fichas técnicas de seus jogos.

Com os hoje jornalistas Deusdeth Nunes dos Santos  (Garrincha) e Ismael Cândido Santa (Ismael) na equipe, o Rio Negro não fez uma boa campanha. Terminou o certame na lanterna, sendo eliminado para os jogos do terceiro turno. Vale o registro de um simpático time que contava, no gol, com o saudoso Pompéia, filho de Floriano que trabalhou pelo esporte da Princiesa do Sul durante muitos anos. Mas vamos ao almanaque do Rio Negro em 1963.

1º turno 
4ª rodada
04/08/1963
CAIÇARA 1x0 RIO NEGRO
Local: Deusdeth de Melo (Campo Maior)
Arbitragem: Francisco de Assis Castelo Branco, auxiliado por Antonio Américo e Geraldo Andrade
Renda: Cr$ 40.850,00 com 348 pagantes.
Gols: Antonio Quinto 48 do 2º tempo.
Caiçara – Coló; Walter, Napoleão, João de Deus e Cabo Dulce; Costa e Ditoso; Antonio Quinto, Cabeção (Raimundinho Fumaça), Geraldo e Escurinho.
Rio Negro – Pompéia; Giovani, Afonso, Milton Bororó e Edésio; Manoel e Garrincha; Dedé, Ismael, Arimathéia e França.

5ª rodada
11/08/1963
RIO NEGRO 2x0 PIAUÍ

Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Antonio Milton Vilanova e Severiano Alves Teixeira.
Renda: Cr$ 22.115,00 com 316 pagantes.
Gols: Garrincha 5’30” e Amédio 25 do 1º tempo.
Expulsão: Écio, aos 18 do 2º tempo, por agressão ao árbitro.
Rio Negro – Pompéia; Hélio (Giovani), Afonso, Milton Bororó e Edésio; Manuel e Garrincha; Dedé, Amédio, Ismael e França.
Piauí – Zé Barros; Tuíca, Nanô, Manoelzinho e Manuel; Nonato Leite e Rudinha; Mamede, Carmino, Écio e Bitonho.

6ª rodada
25/08/1963
COMERCIAL 3x0 RIO NEGRO
Local: Deusdeth de Melo (Campo Maior)
Arbitragem: Antonio Milton Vilanova
Renda: Cr$ 46.550,00 com 399 pagantes
Gols: João Catita (2) e Curniça
Comercial - Beroso; Arimathéia, Alexandre (Zé Arlindo), Chico Catita e Galo; Chiquito e João Catita; Radiê, Almir, Curniça e Cabrinha.
Rio Negro - Pompéia; Hélio (Giovani), Afonso, Milton Bororó e Edésio; Manuel e Garrincha; Dedé, Amédio, Ismael e França.

7ª rodada
08/09/1963
FLAMENGO 6x0 RIO NEGRO
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Antonio Milton Vilanova, auxiliado por Renato Barreto de Moraes e Severiano Alves Teixeira
Renda: Cr$ 24.180,00 com 287 pagantes.
Gols: Matintim 34 e Paulinho 41 do 1º tempo; Matintim 7, Maneca 30, Paulinho 41 e Matintim 43 do 2º.
Flamengo – Chiquinho; Zé Carneiro, Maneca, Matintim e Papagaio; Vítor e Bena; Maçarico, Edson, Paulinho e Soares.
Rio Negro – Pompéia (Afonso I); Giovani, Afonso II, Milton Bororó e Edésio; Pierre e Arimathéia (Ismael); Garrincha, Amédio, Dedé e Mário.

8ª rodada
22/09/1963
RIVER 7x1 RIO NEGRO
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Severiano Alves Teixeira e Osvaldo Viana.
Renda: Cr$ 29.545,00 com 423 pagantes.
Gols: Ivanildo 9, Waldeck 27 e Waldeck 38 do 1º tempo; Arimathéia 10, Valdinar 11, Valdinar 20, Zeca 32 e Filomeno 41 do 2º.
Obs.: Arimatheía perdeu um pênalti aos 17 do 1º tempo, chutando para fora.
River – Caxambu; Astolfo, Zequinha, Filomeno e Quincas; Giri e Vilmar; Waldeck, Zeca, Gereba (Valdinar) e Ivanildo.
Rio Negro – Afonso; Geovani, Aires (Manuel), Milton Bororó e Dário; Afonso II e Ismael; Arimathéia, Mário, Dedé e Amédio.

10ª rodada
02/10/1963
RIO NEGRO 1x0 AUTO ESPORTE
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Osvaldo Viana e Antonio Milton Vilanova.
Renda: Cr$ 14.425,00 com 158 pagantes.
Gols: Edésio 13 do 2º tempo.
Obs.: Anduiá perdeu um pênalti, aos 22 do 1º tempo.
Rio Negro – Pompéia; Giovani, Afonso, Dário e Ismael; Milton Bororó e Dedé; Garrincha, Arimathéia (Edésio), Antonio Aires e Amédio.
Auto Esporte – Nathan; Amadeu, Teles, Gasolina e Fatiguê; Zé Luís e Wallace; Capote, Paulo II, Anduiá e Bicudo.

O nosso Garrincha
2º turno
3ª rodada
26/10/1963
RIO NEGRO 0x3 RIVER
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Antonio Milton Vilanova e José da Costa Araújo.
Renda: Cr$ 30.555,00 com 429 pagantes
Gols: Waldeck 25 do 1º tempo; Carrinho 18 e Sibiata 19 do 2º,
Rio Negro – Pompéia; Geovani, Afonso II, Dário e Aires; Ismael e Milton Bororó; Garrincha (Edésio), Arimathéia, Dedé e Amédio.
River – Caxambu; Gereba, Zequinha, Filomeno e Quincas; Giri e Vilmar; Waldeck (Sibiata), Ventura, Carrinho e Fortaleza.

6ª rodada
13/11/1963
RIO NEGRO 0x2 FLAMENGO
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Odmirson Antonio da Costa, auxiliado por Severiano Alves Teixeira e Raimundo Barreto de Moraes.
Renda: Cr$ 21.240,00 com 248 pagantes.
Gols: Paulinho 16 e Rubens (pênalti) 23 do 2º tempo.
Expulsões: Maçarico e Ismael, no 2º tempo.
Rio Negro – Pompéia; Geovani, Afonso II, Milton Bororó e Aires; Irapuã e Amédio; Dedé (Edésio), Arimathéia, Ismael e França.
Flamengo – Chiquinho; Zé Carneiro (Matintim), Maneca, Braz e Papagaio; Edson e Macalé; Maçarico, Rubens, Paulinho e Soares.

8ª rodada
24/11/1963
PIAUÍ 4x0 RIO NEGRO
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por José da Costa Araújo e Odmírson Antonio da Costa
Renda: Cr$ 19.580,00 com 288 pagantes.
Gols: Chapéu 28, Zagalo 31 e Derbeth 34 do 1º tempo; Chapéu 25 do 2º.
Piauí – Zé Barros; Tuíca, Nanô, Aluízio e Piqui; Nonato Leite e Bitonho; Chapéu, Sanêga, Derbeth e Carmino (Zagalo).
Rio Negro – Pompéia; Giovani, Afonso II, Aires e Irapuan; Milton Bororó e Dedé (Edésio); Arimathéia, Amédio, Mário e Ismael.

11ª rodada
05/12/1963
AUTO ESPORTE 2x3 RIO NEGRO
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Valdimir Soares da Silva, auxiliado por Odmírson Antonio da Costa e Mazzola.
Renda: Cr$ 10.000,00
Gols: Ismael 10, Barbosa 23 e Arimathéia (pênalti) 36 do 1º tempo; Pierre 24 e Barbosa 45 do 2º.
Expulsão: Teles, aos 26 do 2º tempo.
Auto Esporte – Adalberto; Amadeu, Deolindo, Teles e Hamílton; Zé Maria (Bicudo) e Paraíba; Daniel, Barbosa, Paulo Franco e Wallace.
Rio Negro – Pompéia; Geovani (Mário), Afonso II, Aires e Pierre; Dário e Mílton Bororó; Garrincha, Arimathéia, Dedé e Ismael.

12ª rodada
08/12/1963
RIO NEGRO 2x1 CAIÇARA
Local: Deusdeth de Melo (Campo Maior)
Arbitragem: Adaílson Alves (Mazzola), auxiliado por Severiano Alves Teixeira e Odmírson Antonio da Costa.
Renda: Cr$ 33.250,00 com 311 pagantes.
Gols: Ismael 16 e Mário 39 do 1º tempo; Popó 10 do 2º.
Rio Negro – Pompéia; Geovani, Afonso II, Aires e Pierre; Dário e Milton Bororó; Dedé, Arimathéia, Mário e Ismael (Irapuan).
Caiçara – V 8; Alemão, Cabo Dulce, Valter e Hélio; João de Deus e Geraldo; Raimundinho Fumaça, Popó, Antonio Quinto e Escurinho (Ditoso).

13ª rodada
11/12/1963
RIO NEGRO 1x4 COMERCIAL
Local: Lindolfo Monteiro (Teresina)
Arbitragem: Francisco de Assis Castelo Branco, auxiliado por Severiano Alves Teixeira e Costa Araújo.
Renda: Cr$ 33.300,00 com 283 pagantes
Gols: Almir 6 e Arimathéia 45 do 1º tempo; Radiê 31, Almir 34 e Radiê 43 do 2º.
Expulsão: Cabrinha, por indisciplina, aos 32 do 2º tempo.
Rio Negro – Pompéia; Geovani, Afonso, Aires e Pierre (Edésio); Dario e Milton Bororó; Arimathéia, Garrincha, Dedé e Mário.
Comercial – Beroso; Chiquito, Juruta, Galo e Da Joana; Zé Fidélis (Miguel Brito) e Curniça; João Catita, Almir, Radiê e Cabrinha.


RESUMO DA CAMPANHA

12 jogos
4 vitórias
8 derrotas
8 pontos ganhos
10 gols marcados
33 gols sofridos
-23 gols de saldo

ARTILHARIA

3 gols - Arimathéia.
2 gols - Ismael.
1 gol - Amédio, Edésio, Garrincha, Mário e Pierre.

JOGADORES UTILIZADOS

12 jogos – Afonso II, Dedé, Giovani e Milton Bororó.
11 jogos - Pompéia (goleiro) e Ismael.
10 jogos - Arimathéia.
9 jogos - Edésio.
8 jogos - Aires, Amédio e Garrincha.
6 jogos - Dario e Mário.
4 jogos - França, Manoel e Pierre.
3 jogos - Irapuã.
2 jogos - Afonso I (goleiro) e Hélio.

Amistoso no Ceará, marca volta de Lira ao 4 de Julho

Quase um ano e seis meses depois de ter jogado sua última partida com a camisa do 4 de Julho - o enfaixamento dos campeões de 2011, contra o TEC, de Timon -, o experiente meia Lira (foto) retorna ao time Colorado no amistoso programado para a tarde deste domingo (30), na cidade cearense de São Benedito, contra o time local que irá disputar o Campeonato Cearense.

Depois de ter completado 40 anos, em agosto de 2011, Lira não mais vestiu a camisa vermelha do 4 de Julho. No segundo semestre daquele ano, não houve a Copa Piauí. Quando se preparava para a temporada de 2012, teve a perna fraturada em um jogo de futsal, no dia 12 de janeiro. Ídolo da torcida, ele volta ao time depois de todos os contratempos.

Além de Lira, o técnico Nelson Mourão vai utilizar vários jogadores já conhecidos da torcida piauiense, como Pretinho, o maior artilheiro da história colorada, Wilsinho, Dacha, Pardal, dentre outros. O time provável, para começar jogando em São Benedito, é Geo; Wilsinho, Cloelson, Airton e Pardal; Dacha, Cachico, Lira e Pretinho; Pedra Preta (ou Sávio) e Picapau. O amistoso no interior cearense deve começar por volta de 15h30.

Barras faz úiltimo jogo preparativo antes do embarque para SP

Barras volta ao Lindolfinho para o último amistoso antes do embarque.
Com toda a delegação definida para o embarque rumo a Copa São Paulo de Futebol Júnior, o Barras realiza seu último amistoso preparativo na tarde deste domingo (30), no Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, a partir das 16h00, diante do time sub-18 do Flamengo. O jogo servirá para o técnico Danilo Queiroz fazer os últimos ajustes antes da estréia na competição promovida pela Federação Paulista.

No final de semana passado, quando teve pela frente a equipe campeã do Inter-Bairros Sub-23 (Seleção do Promorar), o quadro barrense venceu por 2 a 0, mas o jogo foi prejudicado em face do atraso e da chuva. O fato dos refletores não terem sido acesos também atrapalhou o jogo, que teve apenas 68 minutos. 

Assim mesmo, Danilo definiu a delegação que vai viajar para São Paulo e hoje espera que o time se comporte de acordo com suas orientações, conseguindo um bom resultado diante do Flamengo. A propósito, time do único piauiense que está na equipe de Barras, o volante Henrique, emprestado para a disputa da Copinha.

Miguel Ângelo: 30 anos como médico no futebol piauiense

Nos anos 80, Miguel deixou a torcida para atuar como médico do time tricolor.
Na noite do dia 26 de janeiro de 2013, quando o River entrar em campo para enfrentar o Cori-Sabbá, na cidade de Floriano, o médico tricolor, Miguel Ângelo, estará em ação pelo 30° ano consecutivo na história do Campeonato Piauiense de Futebol da 1ª Divisão de Profissionais. Um recorde que ele vai ampliando a cada temporada.

Torcedor riverino de ir para as gerais e arquibancadas do Lindolfo Monteiro e do Albertão, Miguel Ângelo acompanha o River desde garoto. Mas foi em 1984 que ele assumiu a função de médico do clube, disputando seu primeiro campeonato. E é logo desse primeiro ano o episódio que, se pudesse, mudaria a história.

No 4 de Julho campeão de 1992, Miguel é o penúltimo em pé, ao lado de Edilson Moreira.
"Nas finais do 1° turno" - recorda o médico tricolor - "o zagueiro João Carlos Tigre, que estava entregue ao departamento médico, disse não estar mais sentindo uma distensão. Eu quis vetá-lo, mas ele disse que não sentia nada. Eu sabia do risco, mas liberei. Com menos de 20 minutos, ele deixou o campo e o River terminou perdendo o título do turno. Hoje, mais experiente, eu teria vetado sua participação naquela decisão".

River: paixão de pai para filho.
Além das finais ganhas, que deram ao River os títulos de 1989, 1996, 1999, 2000, 2001, 2002 e 2007, Miguel Ângelo Costa Lago, 61 anos (Teresina-PI, 24/05/1951), guarda na memória, com especial carinho, um Rivengo do Campeonato Piauiense de 1998. "O River já estava eliminado e o Flamengo precisava vencer o clássico para ter chance de ir para a decisão", lembra.

"Um dirigente do Flamengo chegou a procurar nosso presidente para oferecer uma gratificação. Eu, então acumulando as funções de médico e vice-presidente, disse que não faríamos isso. No último treino, falei com cada jogador e disse que precisávamos deixar o campeonato dignamente. No vestiário, antes do jogo, falei com cada um, olho no olho, lembrando a necessidade de sermos dignos e jogar para vencer, como deve ser sempre".

"O Flamengo ainda fez 1 a 0, já no segundo tempo, o que deve ter provocado a desconfiança de muita gente. Mas viramos para 2 a 1, com gols do Matoso e do Silvan, e eliminamos o Flamengo. No final da partida, enquanto eu abraçava e parabenizava cada atleta, alguns jornalistas censuravam a nossa vitória, achando que deveríamos ter feito a marmelada. Ainda hoje me emociono quando me lembro daquela noite no Lindolfo Monteiro", afirma.

Médico também dos adversários: cena comum nos gramados piauienses.
A trajetória que chegará ao 30° campeonato poderia ter sido interrompida em 1992 quando o River ficou fora da competição. Miguel fez diferente e trabalhou para outros times, por simples amor ao esporte. A recompensa não veio somente com a satisfação do dever cumprido. Ele também ganhou o título, tornando-se campeão piauiense com o 4 de Julho. Trabalhar para outros clubes, a propósito, é fato comum. Adversário do Galo que não tiver médico pode ter certeza que Miguel Ângelo estará pronto para ajudar no que for necessário.

Oito vezes campeão piauiense (7 pelo River e 1 pelo 4 de Julho), Miguel não esconde o desejo de aumentar também estes números. E diz, sem nenhum constrangimento, que "o título de campeão de 2013, para o River, será o melhor presente pelos 30 anos de Campeonato Piauiense". Feito o pedido, o time agora tem mais este motivo para buscar os resultados positivos já a partir do dia 26 de janeiro, quando o Galo irá estrear na competição, diante do Cori-Sabbá.

Atento à possibilidade de um acidente, ele também cuida de amarrar o cadarço no tênis do pequeno mascote.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Lembranças da antiga sede do Piauí Esporte Clube


Veja que raridade encontrei no meu baú: uma pequena lembrança da inauguração do campo juvenil na antiga sede do Piauí Esporte Clube, à Avenida Presidente Kennedy. Para comemorar o evento, a diretoria mandou imprimir um pequeno cartão, em frente e verso, onde consta o plantel do time, então tricampeão, o hino e a canção, além de foto do time da época. Vale a pena ver de novo! Foi presente do jornalista Edilson Bonifácio que, naquele tempo, ia para as arquibancadas com bandeira e tudo. Torcer pelo Piauizão de Nonato Leite, Pila e Sima.

 

Prata da casa dará sustentação ao plantel do Zangão

Felipe integra o grupo da prata da casa que irá defender a SEP em 2013 (Foto: Severino Filho - Buim)
Ao que pese a contratação de vários reforços, o trabalho do técnico Cicero Monteiro, à frente da Sociedade Esportiva de Picos, tem a base formada por jogadores produzidos pelo próprio Zangão. Alguns mais jovens, como Maikinho, outros mais experientes, como Boni, mas todos de grande importância na formação do elenco que irá disputar o próximo Campeonato Piauiense.

No total, são treze jogadores da cidade, selecionados após o amistoso da semana passada, quando, somente com jogadores de Picos, a SEP goleou a Seleção de Jaicós, por 7 a 0, no Estádio Asa Branca, em Geminiano, onde o time está fazendo a sua pré-tempórada. Os escolhidos da prata da casa, pelo técnico Cicero Monteiro, foram Clebio (goleiro), Lanlan (lateral direito), Roni, Leleu (zagueiros), Fabiano (lateral esquerdo), Deivid, Cristiano (volantes), Fábio, Felipe, Maninho Maracanã, Boni (meias), Maikinho e Jackson (atacantes).

Boni, um dos mais experientes, vai disputar a camisa 10 que já foi sua em 2012.
O último treino deste ano foi realizado na manhã deste sábado, oportunidade em que o treinador, após a prática, liberou os jogadores para as festas de chegada do ano novo. O retorno às atividades normais está previsto para o dia 03 de janeiro. A estréia da SEP no Piauiense Chevrolet 2013 será no dia 27 de janeiro, em Teresina, contra o Flamengo.

Chicolé: de Floriano, para fazer história no futebol

Chicolé guarda muitas lembranças do futebol. Nada, porém, foi mais inesquecível que o jogo contra o Sport Recife, no Lindolfo Monteiro, em 1970 (Foto: Severino Filho - Buim).
O nome de bola podia até parecer esquisito ou engraçado, mas foi mesmo como Chicolé que o florianense Francisco Cesar Lima fez carreira como atleta profissional no futebol piauiense. Francisco Cesar Lima (Floriano-PI, 02/06/1948), surgiu no Ferroviário, de sua terra natal, ocasião em que se destacou e terminou vindo para o River, onde teve uma passagem meteórica.

As grandes alegrias só aconteceram quando o Flamengo apostou no seu futebol e deu-lhe a oportunidade de atuar ao lado de outros craques consagrados, como Matintim, Mota, Gringo, Carlinhos e Décio Costa. Epoca em que viveu um dos momentos mais inesquecíveis de sua trajetória como atleta - o empate com o Sport Recife, pelo Torneio Norte-Nordeste, em 197o. Chicolé entrou no segundo tempo, substituindo a Pedrinho, e fez uma grande atuação contra o Leão da Ilha do Retiro, no Lindolfo Monteiro lotado pela torcida piauiense.

Vilmar e Chicolé, no River de 1969, com escudo semelhante ao do São Paulo. A rápida passagem pelo Tricolor permitiu-lhe jogar ao lado de um dos maiores craques deste futebol.
No quadro rubro-negro, Chicolé conquistou o bicampeonato piauiense em 1970/71, atuando mais tarde no Tiradentes e no Moto Clube. Antes de encerrar a carreira, o ponta esquerda de dribles fáceis jogou no Botafogo, em 1975. A torcida não lhe esqueceu, não só pelo apelido engraçado, mas também pelo bom futebol. 

Fora dos gramados, além de agrimensor, Chicolé tornou-se um eficiente bancário, passando vários anos nos quadros do Banco do Estado do Piauí, onde terminou se aposentando. Da terra de Vilmar, Zuega, Mocó e Walberto, soube honrar as raízes e também fazer história como um dos ídolos rubro-negros de todos os tempos.

CLUBES EM QUE JOGOU NO FUTEBOL PIAUIENSE

Ferroviário Atlético Clube (Floriano)
River Atlético Clube (Teresina)
Esporte Clube Flamengo (Teresina)
Sociedade Esportiva Tiradentes (Teresina)
Botafogo Esporte Clube (Teresina)

PRINCIPAIS TÍTULOS

Campeonato Piauiense da 1ª Divisão 1970 (Flamengo)
Campeonato Piauiense da 1ª Divisão 1971 (Flamengo)

ALGUNS JOGOS MARCANTES

11/05/1965 - Ferroviário 1x0 Piauí - Estréia no Campeonato Piauiense, com apenas 17 anos.

08/07/1970 - Flamengo 7x1 Fluminense - Estréia oficial no Flamengo, oportunidade em que marcou também seu 1° gol em Campeonato Piauiense.

25/11/1970 - Flamengo 1x1 Sport Recife - Uma grande exibição de Chicolé no LM.

16/12/1970 - Flamengo 1x0 Piauí - O Flamengo é campeão piauiense, e Chicolé conquista seu primeiro título estadual.

25/07/1971 - Flamengo 3x0 River - 1° jogo da final do Campeonato Piauiense. 

01/08/1971 - Flamengo 2x2 River - Flamengo e Chicolé bicampeões do Piauí.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Flamengo deve ter zagueiro campeão de 2010

Rafael Araújo será rubro-negro na próxima temporada.
O zagueiro Rafael Araújo, campeão piauiense pelo Comercial na temporada de 2010, pode ser mais um reforço do Flamengo para o Piauiense 2013. O jogador já teria acertado valores e a diretoria deve confirma-lo como substituto para a lacuna deixada com a perda de Marcelão, agora zagueiro do River.

Rafael Araújo fez grandes atuações pelo Comercial, inclusive na Copa do Brasil, diante do Palmeiras, quando chegou a marcar o gol comercialino no primeiro confronto, no Albertão, garantindo o jogo de volta, na capital paulista. Rafael Silva de Araújo, 28 anos (16-11-1984) também chegou a fazer parte da lista do técnico Aníbal, para o River, todavia, quando seu nome foi indicado, ele já estava em negociação com o Flamengo e os dirigentes tricolores desistiram de procura-lo.

Quanto a vinda de Amaral, que o SITE DO BUIM divulgou há 10 dias, mas o presidente Jankel Costa desconversou, agora está bem próxima da realidade, com a diretoria até anunciando campanha publicitária em torno da vinda do jogador, que foi volante de Palmeiras, Vasco, Corinthians e Seleção Brasileira. Aliás, as informações colhidas há 10 dias já davam o jogador como certo no Flamengo, de acordo com seu empresário.


Barras já tem a delegação pronta para a Copa SP

Com apenas um piauiense, Barras já está pronto para a disputa da Copa SP.
O técnico José Danilo Queiroz, do Barras, definiu o grupo de jogadores que irão viajar com a delegação para a disputa da próxima edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Foram relacionados 25 atletas, dentre os quais apenas um piauiense - o volante Henrique, emprestado pelo Esporte Clube Flamengo.

Na tarde de hoje (28) houve treino no Estádio Municipal Lindolfo Monteiro, visando o amistoso do próximo domingo, diante do Esporte Clube Flamengo. O mais jovem é o lateral esquerdo William (Francisco William dos Santos Sales), 17 anos, nascido em 27 de abril de 1995. O mais velho é o atacante Elvis (Elvis Mendes da Costa), que completará 20 anos no dia 15 de abril. Confira, abaixo, quem está no grupo que irá disputar a competição representando a Federação de Futebol do Piauí.

Goleiros - SHELDON, DANILO e BERNARDO.
Laterais pela direita - EDNER e RENÊ.
Laterais pela esquerda - LUCAS e WILLIAM.
Zagueiros -THIAGO, RAFAEL, AIRTON, LUCAS SOUSA e KALIL.
Volantes - VICTOR, DALTON, HENRIQUE, PEDRO LUCAS e BATUTA.
Meias - JEFFERSON e DINDÊ.
Atacantes -ELVIS, PAULO ROBERTO, FELIPE, ALISSON, BRUNO e LUIS HENRIQUE.

Baby e Toni confirmados como reforços do Cori-Sabbá


Baby fez boas atuações como goleiro do Barras (Foto: Seveerino Fiho).
O goleiro Baby, destaque do Barras no Campeonato Piauiense de 2011, e o experiente atacante Toni, campeão piauiense em 2010 no Comercial, estão confirmados como novos reforços do Cori-Sabbá para a disputa da próxima temporada. Além deles, a diretoria do alvinegro florianense também anunciou outros três reforços.

Toni, aqui comemorando gol pelo Parnahyba, agora é jogador do Cori-Sabbá.
Baby (goleiro), Fagundes (volante), Jackson (volante), Cafezinho (meia) e Toni (atacantes), se apresentam no próximo dia 03. O técnico Vanin, porém, pediu mais três jogadores para o início dos trabalhos - um lateral direito, um meia e outro atacante. Maurício Miranda, que está coordenando o futebol profissional do Cori-Sabbá, já está providenciando as próximas contratações.

O goleiro Baby foi um dos principais jogadores do Barras em sua última participação no Campeonato Piauiense, quando formou ao lado do time que também contava com Mimi, Thomas, Alex Costa, e tinha o comando técnico de Erasmo Forte. O atacante Toni dispensa maiores apresentações, pois já é bastante conhecido do futebol piauiense, com brilhante desempenho no ataque do Comercial, onde sagrou-se campeão em 2010.

O meia Cafezinho, por sua vez, já esteve no Piauí Esporte Clube, no início da temporada de 2010, mas terminou dispensado antes do início do certame estadual. A estréia do Cori-Sabbá no Campeonato Piauiense será no dia 26 de janeiro, em Floriano, diante do River.


Flâmula comemorativa do Brasileiro da 1ª Divisão


Em 1972, realizou mais uma edição do Campeonato Brasileiro da 1ª Divisão, uma espécie de Série B, cujo campeão foi o Sampaio Correa, de São Luis. Na capital maranhense, em julho do mesmo ano, houve uma reunião para discutir pormenores da competição. Com direito a flâmula comemorativa, que integra o acervo guardado no Baú do Buim.

Mais que um pai, Aníbal Lemos dá nova chance a Alisson

Atento, Alisson ouve o técnico Anibal Lemos. Um verdadeiro pai diante do histórico de fugas do atleta.
Que Alisson é um excelente zagueiro, todos sabem. Que é problemático e inconsequente, também. Por qual motivo, então, ele continua no futebol profissional? Somente o técnico Aníbal Lemos pode dar a explicação. E ela é muito simples: "diga aí que nem um pai faz o que eu faço por ele. O motivo? Eu acredito que ainda é possível ele criar juízo".

De fato, dificilmente Alisson teria outra oportunidade não fosse o paternalismo do técnico Anibal. Paternalismo que ele faz questão de esclarecer como "confiança em um zagueiro que, em forma e com responsabilidade, é um dos melhores do nordeste". O histórico de Alisson não favorece a disciplina que o futebol profissional exige.

Alisson sumiu, injustificadamente, quando esteve no Piauí, no Barras, no Comercial e por onde andou. A ponto de não comparecer à maior vitrine que já apareceu em sua carreira como atleta profissional - o jogo de volta entre Comercial x Palmeiras, em São Paulo. Após a primeira partida, no Albertão, ele não mais retornou e sequer viajou com a delegação.

"O Alisson aprontou muito" - reconhece Aníbal Lemos - "mas eu, repito, continuo acreditando. E ele sabe que, provavelmente, é, talvez, a sua última oportunidade no futebol profissiional, em um clube de tradição. Como é inteligente, espero que ele aproveite a chance que o River está lhe dando. Mas o que pode se confundir com paternalismo acaba aqui. A oportunidade terá que ser agarrada, acima de tudo, com disciplina. Espero que ele aproveite".

Por outro lado, Alisson não tem outro termo para traatar o técnico Aníbal. "Ele é mais que um pai. Eu já fiz muito besteira, mas a gente vai criando experiência e eu saberei tirar proveito disso". É o que a torcida e a diretoria também esperam do zagueiro, que irá repetir, ao lado de Marcelão, uma dupla que já foi convocada pelo próprio Anibal para vestir a camisa da Seleção Piauiense.

O 4 de Julho na Série B do Brasileiro de 1989

Didi, Sabará e Júnior:juntos, marcaram 7 gols para o 4 de Julho na Série B de 1989.
Com menos de dois anos de atividade profissional, o 4 de Julho Esporte Clube, da cidade de Piripiri, já estreava em competições nacionais promovidas pela Confederação Brasileira de Futebol. Vice-campeão piauiense em 1988 e 1989, o Colorado foi um dos representantes do futebol piauiense na Divisão Especial (leia-se Série B) do Campeonato Brasileiro de 1989.

Figurou no Grupo D, ao lado de Flamengo, River (ambos de Teresina), Ceará, Fortaleza e Ferroviário (da capital cearense). Vice-campeão piauiense em suas duas primeiras temporadas, o Colorado não justificou esta condição e terminou eliminado com o pior índice técnico do grupo, somando apenas 4 pontos ganhos, fruto de uma vitória e dois empates.

A vitória sobre o Ceará, dentro de Piripiri, porém, valeu grande comemoração. Uma tarde inspirada de Ronaldinho, autor dos dois gols, e a torcida piripiriense festejando a primeira vitória de seu time em uma competição promovida pela CBF. Agora recorde, através das fichas técnicas, toda a campanha do 4 de Julho em seu primeiro certame naciional.

Grupo D
09/setembro/1989
FORTALEZA 1x0 4 DE JULHO
Local: Presidente Vargas (em Fortaleza).
Arbitragem: Charles Eliot de Freitas (Rio Grande do Norte), auxiliado por Francisco José Sales Nunes e Eduardo Florentino Ribeiro (ambos do Ceará).
Renda: NCz$ 6.059,00 com 1.404 pagantes.
Gol: Laércio 19 do 2° tempo.
Cartões amarelos: Laércio, Luis Carlos, Gilmar e Aurélio.
Expulsão: Adalberto, no 2° tempo, por jogo viiolento.
Fortaleza - Marcos; Laércio, Valdeci, Gilmar (Castilho) e João; Alberto, Aurélio e Ademir Patrício; Valdir, Dimas e Marquinhos Paulista. Técnico: Pedro Basílio.
4 de Julho - Guará; Roberto, Marco Antônio, Perivaldo e Luis Carlos; Adalberto, Pereira (Ronaldinho) e Sabará; Didi, Júnior e Flávio. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).

13/setembro/1989
4 DE JULHO 2x1 CEARÁ
Local: Helvídio Nunes (em Piripiri).
Arbitragem: Jackson Pereira Silveira (Maranhão), auxiliado por José Macedo de Melo e Luis Batista de Sousa (ambos do Piauí).
Renda: NCz$ 5.916,00 com 1.462 pagantes.
Gols: Luis Carlos 8 e Ronaldinho 9 do 1° tempo; Ronaldinho 26 do 2°.
Cartões amarelos: Paulo Cesar, Luis Carlos e Sabará.
4 de Julho - Guará; Roberto, Marco Antônio, Perivaldo e Luis Carlos; Cordeiro, Flávio (Derica) e Sabará; Didi, Júnior e Ronaldinho. Técnico: Luiz Cavalcante e Menezes.
Ceará - Roberval; Mario, Belterra, Edson Barros e Paulo Cesar; Oliveira, Beto Cruz e Gerson Sodré; Márcio, Basílio (Coca) e Luis Carlos. Técnico: Cesar Morais.

16/setembro/1989
4 DE JULHO 0x0 FERROVIÁRIO
Local: Helvídio Nunes (em Piripiri).
Arbitragem: Paulo Cesar A. Goulart Coelho (Maranhão), auxiliado por Manoel Ibiapina Lima e Luis Batista de Sousa (ambos do Piauí).
Renda: NCz$ 7.886,00 com 1.852 pagantes.
4 de Julho - Guará (Fernando Hugo); Roberto, Marco Antônio, Perivaldo e Luis Carlos; Cordeiro, Júnior e Sabará; Didi, Tucha (Derica) e Ronaldinho. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).
Ferroviário - Osvaldo; Silmar, Arimatéia, Evilásio e Marcelo Veiga; Eudes, Alves e Dias Pereira (Caetano); Mardônio, Luizinho e Paulinho. Técnico: Lucídio Pontes.

 23/setembro/1989
RIVER 2x1 4 DE JULHO
Local: Lindolfo Monteiro (em Teresina).
Arbitragem: Waldir Lima Vieira, auxiliado por José Francisco Raimundo de Moraes e Manoel Ibiapina Lima (todos do Piauí).
Renda: NCz$ 4.676,00 com 1.464 pagantes.
Gols: Cacá 8, Didi 25 e Cacá 32 do 1° tempo.
Cartões amarelos: Didi, Roberto e Sabará (todos do 4J).
River - China; Waldinar, Leo, Zezé e Didi; Luiz Eduardo, Zé Augusto e Miolinho (Everaldo); Paulinho Portela, Cacá (Barracão) e Hélio Rocha. Técnico: Osíris de Paiva.
4 de Julho - Guará; Roberto, Perivaldo, Marco Antônio e Marcelino; Cordeiro, Sabará e Júnior (Tucha); Caçote (Derica), Didi e Ronaldinho. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).

30/setembro/1989
FLAMENGO 2x1 4 DE JUILHO
Local: Lindolfo Monteiro (em Teresina).
Arbitragem: Emílio Porto, auxiliado por José Francisco Raimundo de Moraes e Manoel Ibiapina Lima (todos do Piauí).
Renda: NCz$ 4.796,00 com 1.781 pagantes.
Gols: Didi 23, Carlinhos Ceará 35 e Malta 40 do 2° tempo.
Cartão amarelo: Malta, Carlinhos, Bitonho (FLA), Adalberto e Cordeiro (4J).
Expulsôes: Perivaldo, aos 27 do 1°, por jogo violento; Tobi, aos 24 do 2°, por agressão ao árbitro; e Sabará, aos 45 do 2°, por ofensas morais ao árbitro.
Flamengo - Deni; Neto, Carlinhos, Bitonho e Bilé (Toinho); Zuega, Malta e Carlinhos Ceará; Tobi, Cláudio (Coxinha) e Batistinha. Técnico: Antônio de Lima (Gringo).
4 de Julho - Guará; Cordeiro, Doda, Perivaldo e Marcelino; Adalberto, Júnior (Alencar) e Sabará; Didi, Tucha e Ronaldinho. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).

Na estréia, derrota para o Fortaleza no Presidente Vargas.
08/outubro/1989
4 DE JULHO 1x1 FORTALEZA
Local: Helvídio Nunes (em Piripiri).
Arbitragem: Nakor Benedito Arouche (Maranhão), auxiliado por Benedito Pereira de Sousa e Manoel Ibiapina Lima (ambos do Piauí).
Renda: NCz$ 8.053,00 com 922 pagantes.
Gols: Júnior (pênalti) 36 do 1° tempo; Sílvio 15 do 2°.
Cartão amarelo: Alberto.
4 de Julho - Guará; Cordeiro, Doda, Carlos Alberto e Marcelino; Adalberto, Derica e Júnior (Careca); Didi, Flávio (Tucha) e Ronaldinho. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).
Fortaleza - Marcos; Laércio, Valdeci, Toni e Osmani; Alberto, Eliézer e Ademir Patrício (Adílton); Valdir, Silvio e Marquinhos Paulista. Técnico: Lucinho.

11/outubro/1989
FERROVIÁRIO 1x0 4 DE JULHO
Local: Presidente Vargas (em Fortaleza).
Arbitragem; Erinaldo Olinto (Rio Grande do Norte), auxiliado por Hilton Alcântara e Joaci Melo (ambos do Ceará).
Renda: NCz$ 12.218,00 com 1.856 pagantes.
Gol: Cacau 10 do 2° tempo.
Cartões amarelos: Jacinto, Cordeiro e Adalberto.
Ferroviário - Osvaldo; Silmar (Nilton), Arimatéia, Evilásio e Caetano; Toninho Barrote, Alves e Jacinto; Mardônio (Luizinho), Cacau e Paulinho. Técnico: Lucídio Pontes.
4 de Julho - Guará; Cordeiro, Doda, Carlos Alberto e Marcelino; Adalberto, Júnior e Derica (Joãozinho); Didi, Flávio e Ronaldinho. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).

15/outubro/1989
CEARÁ 3x1 4 DE JULHO
Local: Presidente Vargas (em Fortaleza).
Arbitragem: Massilon da Silva (Paraíba), auxiliado por Joaci Melo e Eduardo Florentino (ambos do Ceará).
Renda: NCz$ 50.826,00 com 7.567 pagantes.
Gols: Magno 18 do 1° tempo; Santos 8, Flávio 29 e Magno 36 do 2°.
Cartões amarelos: Santos e Perivaldo.
Ceará – Sergio Monte; Erivan, Belterra, Cláudio e Paulo Cesar; Oliveira, Beto Cruz (Airton) e Luis Carlos; Márcio, Santos (Basílio) e Magno. Técnico: Cesar Moraes.
4 de Julho – Guará; Roberto (Careca), Doda, Perivaldo e Marcelino; Cordeiro, Júnior e Derica; Tucha, Flávio e Ronaldinho (Alencar). Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).

21/outubro/1989
4 DE JULHO 1x2 RIVER
Local: Helvídio Nunes (em Piripiri);
Arbitragem: José Francisco Raimundo de Moraes, auxiliado por Luis Batista de Sousa e Benedito Pereira de Sousa (todos do Piauí).
Renda: NCz$ 2.280,00.
Gols: Didi 45 do 1° tempo; Zezé 5 e Cacá 13 do 2°.
4 de Julho - Guará; Marco Antonio, Perivaldo, Joãozinho e Marcelino; Cordeiro, Júnior (Sabará) e Derica; Tucha, Flávio e Didi. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).
River - China/; Waldinar, Leo, Zezé e Didi; Cesar Leite (Everaldo), Luiz Eduardo e Miolinho; Paulinho Portela, Cacá (Barracão) e Hélio Rocha. Técnico: Osíris de Paiva.

29/outubro/1989
4 DE JULHO 3x4 FLAMENGO
Local: Helvídio Nunes (Piripiri).
Arbitragem: Emilio Porto, auxiliado por José Francisco Raimundo de Moraes e Luis Batista de Sousa (todos do Piauí).
Renda: NCz$ 2.382,00 com 321 pagantes.
Gols: Didi 3, Sabará 16, Batistinha 25 e Cláudio 44 do 1° tempo; Batistinha 13, Sabará (pênalti) 24 e Etevaldo 35 do 2°.
Cartões amarelos: Sabará, Fernando Hugo, Afonsinho, Joãozinho (4J), Carlinhos Ceará, Zuega e Toinho (FLA).
4 de Julho - Fernando Hugo, Marco Antônio, Doda, Joãozinho e Marcelino; Carlos Alberto, Derica e Sabará; Afonsinho (Careca), Didi e Tucha. Técnico: Abelardo Cesário da Silva (Coca-Cola).
Flamengo - Deni; Neto (Bilé), Duílio, Bitonho e Toinho; Zuega, Malta (Tobi) e Carlinhos Ceará; Etevaldo, Cláudiio e Batistinha. Técnico: Antônio de Lima (Gringo).

RESUMO DA CAMPANHA

10 jogos
 1 vitória
2 empates
7 derrotas
4 pontos ganhos
10 gols marcados
17 gols sofridos
-7 de saldo

ARTILHARIA

4 gols - Didi.
2 gols - Ronaldinho e Sabará.
1 gol - Flávio e Júnior.

JOGADORES UTILIZADOS

9 jogos - Guará (goleiro), Didi e Júnior.
8 jogos - Cordeiro, Derica e Ronaldinho.
7 jogos - Marcelino, Perivaldo, Sabará e Tucha.
6 jogos - Flávio e Marco Antônio.
5 jogos - Doda e Roberto.
4 jogos - Adalberto.
3 jogos - Careca, Carlos Alberto, Joãozinho e Luis Carlos.
2 jogos - Fernando Hugo (goleiro) e Alencar.
1 jogo - Afonsinho, Caçote e Pereira.


Sem vários campeões, Tubarão se reforça para tentar o bi

Vários campeões já saíram, mas o Tubarão ganha reforços para buscar o bi.
A pouco mais de quatro meses de seu centenário de existência, o Parnahyba Sport Club segue contratando para defender a condição de campeão piauiense e tentar repetir o feito de 2005, quando arrebatou seu primeiro bicampeonato após o advento do futebol profissional no Piauí. A perda de alguns campeões, como Jorginho, Cleiton Cearense, Alessandro e Isael, está sendo compensadda com os novos reforços.

A diretoria azulina confirmou, por exemplo, as aquisições de Márcio Tarrafas (meia), Evaldo Bahia (lateral esquerdo), Reinaldo Gaúcho e Anderson Guilherme (atacantes). Outros nomes serão anunciados até a chegada do técnico Paulo Moroni. Um deles pode ser o do lateral direito Tote, que já atuou no Flamengo, Comercial e River.

Os dirigentes do Tubarão estiveram reunidos na noite da última quarta-feira, quando vários assuntos foram discutidos, tanto com relação ao plantel que está sendo montado quanto ao programa de comemoração do centenário do clube, fundado em 1° de maio de 1913. A estréia no Campeonato Piauiense está marcada para o dia 27 de janeiro, contra o Barras, no Estádio Juca Fortes, em Barras.

Zé Maguim vai buscar revelação de talentos para o futuro

Com os dois times de Campo Maior fora do Campeonato Piauiense da 1ª Divisão de Profissionais, o ex-supervisor do Comercial, Josivan Alves de Araújo, mais conhecido como Zé Maguim (foto), vai trabalhar com a garotada da cidade, buscando a revelação de novos talentos para as próximas temporadas.

No futebol profissional desde meados da década de 1990, Zé Maguim diz nunca ter visto algo tão grave no futebol de Campo Maior como a situação do momento, em que os dois principais times da cidade, Comercial e Caiçara, passam por sérios problemas de ordem financeira, a ponto de ficar fora do Campeonato Piauiense.

"Nunca vi nada igual e entendo que a juventude campo-maiorense não pode pagar um preço tão caro. Mesmo que tenha de tirar do meu bolso, vou elaborar um projeto de revelação de novos talentos para que, num futuro bem próximo, craques de Campo Maior possam servir de base para o retorno de Caiçara ou Comercial", afirma.

Zé Maguim, que começou no Caiçara e já há alguns anos estava trabalhando no Comercial, acredita que é possível o retorno de Campo Maior ao futebol profissional. Mas sabe que um trabalho de folego terá que ser feito, inclusive com apoio do poder público municipal. "Campo Maior sempre foi um celeiro de bons jogadores. Revelou algumas preciosidades para o futebol piauiense e poderá revelar muito mais".

De fato, foi através de Caiçara e Comercial que o futebol profissional piauiense ganhou nomes históricos, como Brinquedo, Cordeiro, Neto, Berimbau, Paulo Isidoro, Coló, Ditoso, Beroso, Geraldino, Escurinho, Paulo da Banana, Deca, Zé Duarte, Catita, Paulo Henrique e outros grandes jogadores. Quem sabe, pelas mãos de Zé Maguim, possam surgir outros tantos.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Tonet chega e acredita que Piauí será competitivo

Tonet acredita que Piauí pode formar uma boa equipe e disputar o título em 2013.
O técnico gaúcho Fernando Tonet, contratado pelo Piauí para dirigir a equipe no próximo Campeonato Piauiense, desembarcou otimista na capital piauiense. Na sede, onde conheceu as instalações que servirão de palco para seu trabalho diário, disse estar otimista e acreditando muito no trabalho que está sendo planejado pela direção do clube.

Esta será a primeira vez que Tonet irá trabalhar no eixo norte-nordeste. "Já estive no Espírito Santo, no Distrito Federal, mas aqui pro lado norte/nordeste, é a primeira vez. E estou otimista. Sei aonde a diretoria quer chegar e acho que estamos no caminho certo". Tonet não vê muita diferença entre o futebol da sua região e o que vai encontrar pela frente.

"O problema é estrutural. Somente isso", ressalta. "Bom jogador, craque, grandes times, é possível você ver em todo lugar do Brasil. O problema é apenas a estrutura financeira. Mas nada que seja impossível de você conquistar resultados e de repente chegar a um degrau mais elevado". Sobre indicação de jogadores, ele disse que não o fez.

Fernando Tonet quer avaliar o plantel que está sendo montado. Somente no caso de haver necessidade, é que irá fazer indicações. "Agora, se for preciso, também não haverá problema. Tenho uma lista enorme, com jogadores de nivel A, B, C, todos de acordo com a estrutura que o clube dispuser. Mas, repito, somente se houver necessidade".

O novo treinador, que chegou por volta das 14 horas, será apresentado aos jogadores do Piauí no início da noite. O time treina no horário noturno desde o dia 17. A partir do dia 02 de janeiro, o trabalho será em dois expedientes. A estréia do Piauí no Campeonato Piauiense está marcada para o dia 26 de janeiro, diante do 4 de Julho, em Piripiri.